Artigo: Taxa de mortalidade e principais causas de morte entre indivíduos com CHIK entre 2016 e 2017


A taxa de mortalidade associada à chikungunya (CHIK) no Brasil ainda é subestimada. Pesquisadores integrantes da Rede de Pesquisa Clínica e Aplicada em Chikungunya (Replick), desenvolveram um estudo para estimar a taxa de mortalidade e principais causas de morte entre indivíduos com CHIK entre 2016 e 2017, no país. A pesquisa foi publicada na Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, vol 53.

Artigo: "Estimated mortality rate and leading causes of death among individuals with chikungunya in 2016 and 2017 in Brazil"

De acordo com o artigo publicado as estimativas de taxa de mortalidade de CHIK, baseada no Sistema de Informação de Agravos de Notificações (Sinan) do Ministério da Saúde, ajudam a revelar a importância da doença como causa direta ou associada à eventos graves ou fatais, bem como aumentam o conhecimento sobre a doença.

Assinam o artigo os pesquisadores integrantes da Replick, André Ricardo Ribas Freitas e Luciano Pamplona de Góes Cavalcanti. Também são autoras Livia Carla Vinhal Frutuoso, do Ministério da Saúde e a pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB), Elisabeth Carmen Duarte.

Confira o artigo na íntegra clicando aqui.

Livia Carla Vinhal Frutuoso - Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde.

André Ricardo Ribas Freitas - Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic e Secretaria Municipal de Saúde de Campinas.

Luciano Pamplona de Góes Cavalcanti - Universidade Federal do Ceará (UFC).


Inscreva-se para receber atualizações

© 2020 por Rede de Pesquisa Clínica e Aplicada em Chikungunya (Replick)